É melhor ter companhia do que estar sozinho, porque maior é a recompensa do trabalho de duas pessoas. Se um cair, o amigo pode ajudá-lo a levantar-se. [...] Um homem sozinho pode ser vencido, mas dois conseguem
defender-se.
Um cordão de três dobras não se rompe com facilidade.
Eclesiastes 4.9-12;


SEJA UM AMIGO SEGUIDOR

Versículo Diário

DEIXE UMA MENSAGEM PARA OS AMIGOS

Link-Me




Desejo aos amigos um 2010 cheio de bençãos na presença do nosso maravilhoso Deus



"Todavia eu me alegrarei no Senhor, exultarei no Deus da
minha salvação" (Habacuque 3:18).

Em um dos últimos dias de dezembro, o diretor de uma escola
primária disse a seus professores: "Vamos todos colocar em
uma folha de papel,todos os nossos propósitos para o ano que
vem, a fim de sermos melhores professores. Eu os colocarei
no quadro e ali os deixarei durante todo o ano. Desta forma
seremos encorajados mutuamente para que todos os nossos
objetivos sejam alcançados". Os professores concordaram, e
quando as resoluções foram postadas, todos se reuniram em
torno do quadro de avisos para ler o que cada um havia
escrito. Uma das mais jovens professoras do grupo foi
acometida de um acesso de raiva. Ela disse: "A minha
resolução não foi colocada no quadro". O diretor não me dá
valor e não se importa com o que digo". Sem parar reclamava
em voz cada vez mais alta. O diretor, que a tudo ouviu de
sua sala, ficou muito atordoado. Ele havia colocado todas as
resoluções e não teve intenção de excluir nenhuma.
Rapidamente começou a rebuscar os papéis em sua mesa e
encontrou a proposta daquela jovem professora. Correu
imediatamente para o quadro e fixou-a bem em cima, em
destaque. A proposta dizia: "Eu resolvo que nenhuma pequena
coisa me deixará chateada no próximo ano". Ela resolveu,
mas, não se comprometeu.


Se o nosso Deus nos reunisse para pedir que colocássemos em
uma folha de papel todas as nossas resoluções para o novo
ano, com o propósito de sermos pessoas melhores e mais
felizes, o que escreveríamos? Quais seriam os nossos
anseios? Quais seriam as nossas prioridades? Qual o caminho
a seguir para encontrar a verdadeira felicidade?


Uma relação de bens materiais talvez estivesse em grande
parte de nossas listas. Uma grande quantidade de sonhos a
atingir também estariam nelas. É possível que muitos itens
começassem por "Eu quero" ou "Eu desejo" ou "Eu resolvo" e
quem sabe "Eu não descansarei".


Se queremos ter um novo ano verdadeiramente feliz e
abençoado, a nossa lista deve começar por "Eu me
comprometo"! Eu me comprometo a amar muito mais do que
exigir amor. Eu me comprometo a sorrir para todos, mesmo
quando não houver reciprocidade. Eu me comprometo a ser uma
luz neste mundo e, como o sal, espalhar sabor e vida a todos
que estão desesperançados. Eu me comprometo a estar feliz
com tudo aquilo que o meu Senhor me oferecer.


Jesus estará ao seu lado em cada dia do novo ano.
Comprometa-se com Ele. Comprometa-se com a felicidade.


Feliz Ano Novo!

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

ACREDITAR SEMPRE


"Eu acredito em Deus mesmo quando permanece calado."


Apesar de parecer simples, talvez a oração seja uma das áreas da vida cristã mais difíceis de entender. Quando olhamos para o que Jesus nos diz em Mateus 6.8 "porque Deus, o vosso Pai, sabe o de que tendes necessidade, antes que lho peçais" sentimo-nos pouco estimulados a orar.


O raciocínio é muito simples: Deus já conhece minhas necessidades e tem todo o poder para atendê-las, por outro lado, eu mesmo, além de não conhecer de fato minhas próprias necessidades ainda corro o grande risco de nem saber fazer pedidos a Deus corretamente (Tg 4.3; Rm 8.26). A conclusão prática na vida de muita gente é simplesmente um desencorajamento na vida de oração.

É muito possível que a nossa expectativa sobre a oração esteja equivocada. Como meninos malcriados, pensamos em orar com intenções egoístas. Procuramos a Deus para resolver nossos problemas e atingir nossos sonhos, muitas vezes alinhados com os valores desse mundo. Ao contrário do que muitos pensam, a grande bênção da oração não está nas mudanças miraculosas que Deus pode fazer. Não!

A principal finalidade da oração é mudar a nós mesmos. Deus quer que o procuremos em oração, mesmo que isso pareça desnecessário, pelo menos por três razões:

a.. Para que cresçamos em comunhão pessoal com Deus e o conheçamos

b.. Para que aprendamos a depender de Deus, humilhando-nos diante de dele

c.. Para que tenhamos o privilégio de sermos o instrumento usado por Deus em sua obra

Infelizmente pensamos na oração como um meio mais rápido de alcançar o que queremos. Todavia, Deus deseja que através da oração e da comunhão mais profunda com ele, tenhamos nossa principal necessidade atendida: a mudança de valores.

Antigamente eu orava para alcançar coisas, obter felicidade imediata e livrar-me da dor; agora, trabalhado por Deus começo a orar a oração que Cristo faria; os meus desejos são trocados pelos desejos de Deus.

É exatamente por causa disso que a bondade esplêndida e maravilhosa de Deus não permite que ele atenda a todas as nossas orações. Isso seria tornar um filho mimado e malcriado. Muitas vezes Deus não nos ouve, porque não deve ouvir mesmo. Às vezes fazemos pedidos egoístas (Tg 4.3), insistimos em pedidos que não nos farão bem (Sl 106.15), e ficamos chateados com a demora de Deus que muitas vezes ocorre (Lc 18).

Todavia, o Deus poderoso, que faz coisas extraordinárias por meio da oração de cada um de nós (Tg 5.17,18), em seu amor e infinita sabedoria resolve não responder aos nossos pedidos. Diante disso, só podemos dizer:

Bendita seja o Deus que não responde orações que não devem ser respondidas.

sábado, 19 de dezembro de 2009

ÓLEO DE ALEGRIA



Pare de se lamentar!!
"(...) o teu Deus, te ungiu com ÓLEO DE ALEGRIA (Salmos 45:7)"
"(...) óleo de gozo em vez de pranto,
vestidos de louvor em vez de ESPÍRITO ANGUSTIADO;
a fim de que se chamem árvores de justiça,
plantação do Senhor, para que ele seja glorificado. (Isaías 61:3)


Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus... de benignidade. (Cl 3.12.)


Conta-se a história de um homem que levava sempre consigo uma latinha de óleo, e, se passava por uma porta que rangia, punha um pouco do óleo nos seus gonzos. Se um portão estava difícil de abrir, punha óleo em seus ferrolhos. Assim passava ele pela vida, lubrificando todos os pontos difíceis e suavizando-os para os que vinham atrás dele.

O povo chamava-o de excêntrico, esquisito e amalucado, mas o velho prosseguia firmemente, reabastecendo a lata de óleo quando se esvaziava e lubrificando as coisas emperradas que encontrava.

Há muitas vidas que rangem e ficam perras no viver de cada dia. Nada vai bem com elas. Precisam de um pouco do óleo da alegria, da delicadeza, da consideração. Você tem uma lata de óleo consigo? Esteja pronto com o seu óleo do auxílio, logo de manhã, para utilizá-lo com a pessoa que estiver mais perto. Aquele pouco de óleo poderá ser útil para lubrificar todo o seu dia. O óleo do bom ânimo, para o que está desanimado — quanto poderá significar! A palavra de coragem ao que está sem esperança. Fale-a.

Nossas vidas tocam algumas vidas apenas uma vez, nesta caminhada; e depois os caminhos se separam para nunca mais se encontrarem. O óleo da benignidade, ou seja, da suavidade, da brandura, já abrandou as bordas agudas e cortantes de muitas vidas endurecidas pelo pecado, deixando-as suaves, maleáveis, prontas para a graça redentora do Salvador.

Uma palavra dita de modo agradável é como uma grande réstea de sol num coração triste. "DÉ aos outros o sol; conte o resto a Jesus."

Sede afeiçoados ternamente uns aos outros. (Rm 12.10.)

O fruto do Espírito é... benignidade. (Ef 5.18.)

Mananciais no Deserto
Lettie Cowman

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Senhor nos ensine a Louvar




Na Bíblia, mais especificamente no Antigo Testamento, o louvor é basicamente definido por três palavras aqui descritas no hebraico:

BARAK. YADAH e BALAL. Vamos tratar de cada uma delas separadamente.

Barak quer significa “bendizer”. Nós, levitas do Senhor, temos que bendizer o Seu nome, não adianta nada estarmos diante da igreja, cantando bonitinho sem bendizer em momento nenhum o nome do Senhor. Neste caso estamos apenas cantando uma letra que achamos bonitinha e interessante. Quando na verdade não estamos cumprindo um dos principais motivos da adoração e louvor ao Senhor que é bendizer e glorificar o Seu nome para os povos.

Yadah quer dizer “dar graças”. Não há nada mais legal do que agradecer ao Senhor por tudo o que Ele fez e tem feito por nós desde sempre. O louvor é uma maneira que temos para agradecer ao Nosso Senhor e convidar a todos para seguirem os Seus passos e serem abençoados por Ele para que também tenham motivos para agradecer. Nós já damos graças ao Senhor todas as manhãs quando abrimos os nossos olhos e vemos que ainda mantemos o sopro de vida que Ele mesmo nos concedeu. E o pior é que tem muita gente que não reconhece todo este trabalho que o Senhor teve.

E finalmente, Balal é a palavra em hebraico que significa a expressão “aleluia”. Aleluia em algumas traduções da Bíblia foi traduzida para “louvai ao Senhor”. Quando conquistamos alguma coisa em nossas vidas comemoramos bastante, damos brados de alegria e júbilo. Dar “aleluias” ao Senhor é uma maneira de comemorarmos por tudo o que conquistamos com a ajuda de Deus, independente do que tenha sido, desde uma simples cura de um resfriado até a transformação da vida de uma família inteira. Em todo o tempo devemos cantar “aleluias” ao Senhor.

Até aqui vimos o que é o louvor. E você deve já estar imaginando a quem devemos louvar.

Todo o louvor deve ser dado ao Senhor, nosso Deus. Na segunda carta do apóstolo Paulo aos coríntios no capítulo 10, o autor fala sobre esta questão e eu gostaria de me ater a três versículos:


“Não ousamos classificar-nos, ou comparar-nos com alguns, que se louvam a si mesmos, e se comparam consigo mesmos, estão sem entendimento...Aquele, porém, que se gloria, glorie-se no Senhor. Pois não é aprovado quem a si mesmo se louva, mas sim aquele a quem o Senhor louva” (2 Coríntios, 10:12,17-18).


Nós homens não devemos achar que somos os “tais”, que estamos por cima das situações, dominando com facilidade tudo aquilo que nos propomos a fazer. Muito pelo contrário. Temos sim é que reconhecer que somos pessoas fracas, pecadoras que precisam do Senhor, que precisam do Seu Espírito santo para obterem a vitória.

Não há nada mais chato do que ver uma pessoa que fica espalhando para todos os cantos: EU consegui, EU fiz isto, aquilo e aquilo outro, EU venci aquele adversário. Coitado, mal sabe ele que foi o Senhor que concedeu a ele todas estas vitórias.

Não devemos louvar aos homens, pois todos somos falhos, se um cair, caímos todos juntos como uma fileira de peças de dominó. Temos sim é que adorar e louvar ao Senhor, única e exclusivamente, pois Ele não nos deixará, Ele não deixa a soberba e o orgulho pesar em seu coração. Enfim, somente o Senhor é digno de louvor nas nossas vidas.


O salmista Davi escreveu no capítulo 33 de Salmos o seguinte:

Louvai ao Senhor com a harpa; cantai a ele com o saltério de dez cordas. Cantai-lhe um cântico novo; tocai bem e com júbilo. (Salmos 33:2-3).

Os instrumentos são importantíssimos para o louvor do Senhor, e por isso devemos tocá-los bem, não adianta nada termos uma baita de uma orquestra se não sabemos administrar bem o que é executado por ela. Um baterista que só faz barulho, um guitarrista que não sabe afinar bem o seu instrumento, um tecladista que não consegue efetuar bem as conversões, percussionistas que não seguem compassos, enfim, o louvor do Senhor deve ser bem executado, de maneira que possa atingir os corações daqueles que estão ouvindo.


As palmas também são importantes para o louvor.

“Aplaudi com as mãos, todos os povos; cantai a Deus com voz de triunfo” (Salmos 47:1).


Aqueles que estão na congregação também podem, e devem, louvar ao Senhor com as suas palmas e voz de triunfo, afinal de contas, somos mais que vencedores em Cristo Jesus. Existem lugares aonde as palmas não são bem vistas, até entendo e aceito, mas como músico que em outros tempos trabalhou nas noites posso dizer com toda a certeza que quando há a resposta vinda do público quando estamos cantando o louvor fica muito mais gostoso de ser tocado.


Outro tabu que existe em alguns lugares é quanto à dança e o Senhor nos exorta para que louvemos com danças também. Lá no Salmo 150:4 está escrito:

“Louvai-o com adufes e danças(...)”


A dança complementa, em alguns casos, o sentido das melodias que estão sendo entoadas. E desde muito pequenos a dança está inserida em nós. Eu vejo, por exemplo, a minha filha quando começa a tocar uma música ela sempre quer dançar. Toda criança na idade dela tem essa coisa com a dança, por isso vemos que a dança é importante para o louvor do Senhor, apesar de muitos ainda a recriminarem por aí.


O nosso principal local de adoração deve ser o santuário do Senhor como diz lá no Salmo 150, mas não é por isso que devemos deixar de adorar ao Senhor em todo o lugar aonde colocarmos as plantas dos nossos pés. Pois todos nós somos adoradores do Deus altíssimo. Devemos adorá-lo em ações de graças, render a Ele sacrifícios de louvor como está escrito lá em Hebreus 13:15,

“Portanto ofereçamos sempre por meio dele a Deus sacrifícios de louvor, que é o fruto de lábios que confessam o seu nome”.


E por último e não menos importante. Devemos louvar ao Senhor de maneira voluntária e de todo o nosso coração. Pois é desse louvor que o Senhor se agrada. Ele está em busca dos verdadeiros adoradores que O adorem em espírito e em verdade. Que nós possamos declarar ao Senhor aquilo que está escrito em Salmos 9: 1-2,

"Eu te louvarei, ó Senhor, de todo o meu coração; contarei todas as tuas maravilhas. Em ti me alegrarei e saltarei de prazer; cantarei louvores ao teu nome, ó Altíssimo".


Louvemos sempre ao Senhor. Pois ele é o único digno de toda honra, glória e louvor. E sempre com alegria, pois Ele merece.



quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Esperando pela sua outra metade?
Fique firme, porque Deus não quer vê-lo sozinho




Decidir esperar em Deus sobre quem namorar, nos dias de hoje, pode parecer difícil diante das muitas pressões exercidas pela sociedade. O modelo atual sugerido por ela engessa alguns “valores” a serem seguidos, impondo sutilmente um modelo-padrão através de coação. Se alguém foge a esse padrão, é rotulado como “bobinho”.

Esses conceitos pré-estabelecidos pela sociedade atual têm refletido de maneira bastante negativa nas decisões da juventude. Uma coisa é certa: cristãos que tomam para si um modelo de vida secular sempre se frustram com os resultados, pois atrás de uma escolha precipitada há sempre consequências desagradáveis.

Alguns cristãos influenciados pela facilidade do “mundo” já se decepcionaram tanto, que já não acreditam mais na possibilidade de encontrar a sua outra metade.

Outros determinaram um tempo para a resposta de Deus; como ela não veio no tempo estipulado, a solução foi simples: esquecer todo o aprendizado da Palavra de Deus e agir por conta própria. O resultado disso é um só: uma geração com a vida sentimental confusa, cheia de altos e baixos e uma insegurança que desmorona sonhos.

A solidão certamente gera enfermidades e mata milhares de pessoas em todo mundo. Aquele que diz se sentir bem sozinho, ou provou grande decepção na vida amorosa e certamente precisa ter o coração tratado e trabalhado por Deus, ou nunca experimentou o amor, por isso opina dessa forma. Na verdade, não conhece o grande presente de Deus para o homem.

Quando alguém se precipita em um relacionamento, arcará com consequências inevitáveis, seja por conta de um despreparo emocional, espiritual ou econômico, entre outras dezenas de fatores, que podem impedir o verdadeiro regozijo e a felicidade de um casal. Ora, quando se espera em Deus, é Ele quem trabalha os sentimentos. Só Deus conhece a história de vida de cada pessoa. Suas fraquezas, limitações, medos e fragilidades. Deus é perfeito e por isso faz as coisas perfeitas. Jamais une um casal despreparado. Por essa razão é que existe um tempo de amizade, namoro e noivado, pois Deus primeiro ensina ambos a amar, para depois, sim, uni-los.

O amor de Deus não é o “amor” que o homem pensa conhecer. Deus vai tratar com o casal, já no namoro, a questão do saber doar, a capacidade de abrir mão de determinadas coisas, o saber esperar, e outras inúmeras questões de grande importância para um futuro de felicidade.

Uma pessoa que não está disposta a ser lapidada por Deus jamais crescerá, pois será uma eterna criança. Crianças não estão preparadas para assumir grandes responsabilidades. Muitos não entendem que para ser feliz é preciso que Deus tire a “escória da prata”. Somente o Senhor sabe o que precisa ser mudado no coração de cada pessoa. Ele sonda profundamente o coração, restaurando sentimentos e transformando o caráter.

Saber esperar em Deus, orando, jejuando e buscando a Sua presença, é a maior prova de amor que alguém pode dar por todo o sofrimento que Jesus passou no calvário.

Se, porém, alguém no meio do caminho tropeçar, saiba que o Senhor é Deus de amor e misericórdia e está sempre pronto a perdoar, fortalecer e transformar vidas.
O arrependimento sincero é o que faz a diferença entre pecadores. Uma coisa é errar premeditadamente se prevalecendo do grande amor que Deus tem. Outra bem diferente é quando uma pessoa tropeça, mas luta para se consertar e ter uma vida de comunhão com Deus.

“Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo;” (1João 2:1)

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

CONFIANÇA EM DEUS


“... Esforçai-vos e animai-vos, não temais, nem vos espanteis diante deles, porque o Senhor, vosso Deus é convosco, não vos deixara nem vos desamparará.
//Dt 31.6.”
//


No nosso dia-a-dia, enfrentamos muitas coisas que vão enfraquecendo-nos espiritualmente, e raramente percebemos que isto está acontecendo, ficando assim vulnerável aos ataques do inimigo de nossas almas.

É comum muitas vezes, passarmos por momentos em nossa vidas, que ao olharmos para nós mesmos, e percebermos um vazio, uma necessidade de algo que não sabemos o que é, não vemos nenhuma saída, não vemos nada que possa nos levar para algum lugar, e nem mesmo um alivio para as nossas ansiedades.

A correria da vida diária, nos faz tirar nossos olhos do foco principal, Jesus Cristo, e quando vemos, já ouve o tão falado, esfriamento espiritual.
Perdemos muitas vezes, a total vontade de reagirmos a essas aflições da vida, e a confiança que tínhamos em Deus, derrepente desaparece dando lugar ao medo, ansiedade, fraqueza, etc...
Nossa vontade muitas vezes é aquela de ficarmos quietos num “canto” vendo tudo acontecer, é quando nos deparamos numa situação que todo cristão deveria passar, somos guiados pelo Espírito Santo de Deus até à Sua Palavra e o próprio Deus nos mostra o verdadeiro refrigério para nossas almas.
Deus através da Tua infinita misericórdia (Lm 3.22), nos leva em uma rica e maravilhosa viagem pela Tua palavra, para então nos mostrar que Ele está conosco para sempre (Jo 14.16).O texto acima citado, Dt 31.6, dá-nos uma grande promessa para as nossas vidas. Deus está conosco, não nos deixará e também não nos desamparará, mas para isso existem algumas condições colocadas pelo Senhor, que o versículo nos propõem para analisar –mos. Vejamos quais são:

Primeira condição
  • Esforçai-vos

Muitas vezes, achamos nossa condição cômoda demais, e queremos que tudo caia do céu, ou seja, não queremos nos esforçar, queremos tudo de “mão beijada”, tudo fácil, mas vemos que as coisas não são fáceis assim temos que lutar para conseguirmos alguma coisa, imaginamos uma situação, já pensou se José do Egito não tivesse se esforçado quando seus irmãos o venderam, se ele tivesse desistido, sua linda historia não teria sido escrita. O esforço de José junto com sua fé e amor por Deus, foi o que o fizeram vencer. Referência: – Dn 11.32, Js 10.25, Js 1.6-7

Segunda condição

  • Animai-vos

Quando estamos passando por lutas, ah é um verdadeiro “Deus nos acuda”. É raro olharmos para um irmão que esta passando por lutas e ele esteja jubiloso, muitas vezes, seu semblante esta abatido, e seu animo já era. Vejamos então Js 10.25, que nos fala que é Deus quem está a frente do nosso combate, mas para isso, temos que ter ânimos, vontade, desejo para que isso aconteça. Referência: Mt 14.27, At 27.22, At 28.15

Terceira condição

  • Não Temais

O medo nos afugenta, quando nos deparamos com uma situação que nos causa medo, temor, ficamos parados, com uma tendência muito grande de voltar, de recuar. Um exemplo bem claro disso, foi quando Elias, após ter matado os profetas de Baal, ficou amedrontado por causa de Jezabel, e chegou ate a se esconder. O próprio Deus tratou com ele, mostrando que tinha algo mais para com a vida de Elias, e que ele não podia ficar ali. (1 Re 19).
Temos que ter outra reação, reagir de uma outra forma. Ao olharmos o grande exemplo na Bíblia, Daniel. Imaginemos que ao ser decretada a sentença de que ele seria “jogado” na cova dos leões, a cena de Daniel gritando, correndo ou ate mesmo em silencio, mas com um grande medo invadindo o seu coração. Mas não foi isso que aconteceu, quando Daniel ficou sabendo que ele iria para a cova dos leões, ele “apenas” orou a Deus. Com certeza, Daniel ficou apreensivo, mas não deixou o medo tomar conta de sua alma, (2 Co 7.5) antes disso, confiou no Senhor. Referência: Is 41.10

Quarta condição

  • Não Espantais-vos
Quando analisamos a palavra espantais-vos, logo imaginamos algo com que depararemos e nos trará espanto, nos assustará. Nosso Deus é maravilhosamente incrível, Ele já nos pede para não nos espantarmos, pois, Ele vai agir com grande poder e grande gloria em favor das nossas vidas, ou seja, ele ira fazer um grande milagre, e será tão grande, que até mesmo, nós que somos Teus filhos, que andamos com Ele (Jö 42.5), ficaremos espantados.
Quem já não teve a experiência de pedir algo ao Senhor, e quando Ele nos dá, dizemos: “ – ah, eu não acredito que Deus me deu...”, nos espantamos e acabamos em novamente colocar duvidas no mover de Deus. Por isso, não podemos nos espantar com o agir de Deus.
Quando Moises nomeou Josué para ser seu sucessor (Dt 31.1-8), uma das palavras que ele próprio disse para que Josué foi que não se espantasse.
Imaginemos a cena, Deus manda Moises levantar a sua vara, estender a sua mão sobre o mar e fendê-lo para que o povo de Deus atravessa-se o mar, e ainda por cima com os pés secos (Ex 14.15-16), já pensou se Moises ao ver o mar se abrindo se espantasse, talvez ele estaria correndo ate hoje de medo, mas ele sabia o Deus que ele cria, e sabia que Ele é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo que pensamos ou pedimos (Ef 3.20). Referência: Js 1.9, Sl 27.1, Jr 1.8
Sei que já ouvimos a frase “temos que tirar nossos olhos das dificuldades”, inúmeras vezes em nossos cultos e reuniões, mas temos que aprender a ouvir, crer e colocar em pratica essa realidade, Deus não trabalha em meio às nossas duvidas. Se quisermos ver a Sua gloria temos que acreditar, e para acreditar temos que nos esforçar, nos animar, não podemos temer e nem muito menos nos espantar. É difícil as vezes o próprio Jesus disse que não seria fácil (Mc 6.50), mas também não quer dizer que será impossível. Deus não nos tira da porta da fornalha ardente, Ele nos tira de dentro da fornalha (Dn 3.26), Deus não nos livra da cova dos leões, mas faz calar a boca dos leões (Dn 6.22), temos que crer que se o mar não se abrir, Deus nos fará passar por sobre as águas. A palavra que temos que compreender é “confiança”. Confiar em Deus é não olhar para os problemas e tribulações, é saber que embora a dificuldade seja grande, nosso Deus é infinitamente maior. As lutas da vida não podem encher nosso coração de medo. Muitas vezes caímos desfalecidos, preocupados de como será o amanhã, mas o amanhã não cabe a nós resolver, basta a cada dia o seu próprio mal (Mt 6.34).
Paulo, foi um grande homem, que passou por grandes lutas e nos deixou grandes exemplos. Ele mesmo declarou, que tinha aprendido a conviver com a abundancia e com a dificuldade, com a fartura e com a fome, pois ele sabia que podia todas as coisas em Jesus que o fortalecia (Fp 4.13). Imagine uma pessoa deficiente visual, ela tem que confiar na pessoa que esta guiando-a, pois de outra forma, ela não poderá caminhar, comer, etc.Quando entramos num ônibus, raramente conhecemos o motorista, e ainda assim, quando o conhecemos não muda o quadro, temos que confiar, pois é ele que “está” no comando do veiculo. Confiança em Deus, é isso, saber que Ele esta sempre próximo de nós, é acreditar que ele não nos desamparará, a não ser que não venhamos querer estar com Ele, pois sabemos que Deus só tem compromisso, com quem tem compromisso com Ele.
Confiança é isso, compromisso com Deus. Saber que existe um grande Deus no controle de nossas vidas, e que nada de mal nos acontecerá!
“Vale a pena confiar em Deus! Deus é o nosso grande e maravilhoso Pai de amo!”
"Os que confiam no Senhor, serão como o monte Sião, que não se abala, mas permanece para sempre Sl 125.1”

Autor:
Eveson Piva



quarta-feira, 28 de outubro de 2009

UM CORAÇÃO DE CRIANÇA



O nosso Pai Celestial jamais nos rejeita. Ele nunca nos desampara e quer o melhor para nós. É fato que muitas pessoas estão passando por situações difíceis. Por vezes, vivo situações complicadas por causa daquilo que eu mesmo semeio. A Palavra de Deus diz:

"Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois o que o homem semear, isso também colherá." Gálatas 6: 7

Se o homem semear o mal, colherá deste mal. Se plantar o bem, colherá o bem. Se o homem plantar só o bem, então não vai colher o mal? A Bíblia não nos promete isso. Se o homem plantar só o bem e, ainda sim, lhe sobrevier o mal, permanecerá com o coração grato e submetido a Deus porque sabe que Deus é Aquele que nos recompensa.

"E não nos cansemos de fazer o bem, pois no tempo certo colheremos, se não desanimarmos." Gálatas 6: 9

O nosso Deus é tão gracioso, tão bondoso que compara os convertidos as crianças para trabalhar o conceito da simplicidade, da humildade e da transparência.

"Depois trouxeram crianças a Jesus, para que lhes impusesse as mãos e orasse por elas. Mas os discípulos os repreendiam. Então disse Jesus: "Deixem vir a mim as crianças e não as impeçam; pois o Reino dos céus pertence aos que são semelhantes a elas." Mateus 19: 13-14

Os discípulos repreenderam as pessoas para que não deixassem as crianças chegarem até Jesus. Mas, Ele nunca rejeitou as crianças e estava sempre pronto para recebê-las e para abençoá-las. Por quê? A criança é simples. Já reparou quando uma criança faz algo errado? Ela não consegue esconder. Criança fala sem pensar ou "pensa em voz alta". Está sempre pronta a perdoar e a repartir. Poderão ponderar: "Tem muita criança que não é assim!". Observe a educação que a criança está recebendo. Quando bem educada, toda criança tem prazer em servir. Atualmente vivemos um problema grave de crianças mal educadas pelos pais, que quase não respeitam ninguém. Observo muita independência e muita interferência. Vejo adolescentes praticamente mandando nos lares e nos pais que, por sinal, perderam o senso de responsabilidade e de autoridade que Deus lhes deu. Precisamos entender que fomos chamados para abençoar os nossos filhos, para conduzi-los a uma experiência com Deus e com a Sua Palavra. Não podemos ser movidos pelos modismos, pelas circunstâncias, pelo que "todo mundo" faz, pelo sistema ou pela mídia. Os nossos filhos podem até ser rebeldes se optarem por isso. No entanto, é nossa responsabilidade ensiná-los segundo os princípios de Deus.

Assim como Jesus fez, devemos abençoar as crianças. Não nos esqueçamos: através das características das crianças, podemos ver aqueles são verdadeiramente convertidos, que vivem em simplicidade e em humildade, que sabem repartir, abençoar, servir e, acima de tudo, ter toda transparência e intimidade no relacionamento com Deus. Que estejamos, em todo tempo, dependentes de Deus, confiando e buscando a nossa provisão Nele. Que no nosso relacionamento com Deus sejamos humildes e puros como uma criança. O caminho para isso é um só: confesse a Jesus, somente a Ele, como seu Senhor e seu Salvador. No mais, Ele fará.


sábado, 26 de setembro de 2009





Você já se perguntou qual é a verdadeira beleza de pregar o evangelho? Não digo aquilo, de falar de Jesus para uma pessoa com a intenção de introduzi-la na igreja… Mas sim no amor de Cristo(não estou desprezando o papel da igreja). Já parou para pensar como é lindo uma pessoa se arrepender e crer no evangelho?

Você se lembra de quando você se converteu? Lembra como seus pensamentos mudaram, e você realmente viu a gloria de Deus sobre a sua vida?

O amor pelo próximo é algo fundamental, para qualquer cristão que deseja pregar o evangelho. Não um evangelho de faxada, mais sim o verdadeiro amor de Cristo. Mostrar como Deus nos ama, como Ele é tão perfeito.

Mostrar ao mundo, que mesmo com tantas crises, com tantas coisas horríveis acontecendo mundo a fora, ainda existe uma (e única) esperança para todos nós. A volta de Cristo nosso Senhor.

Fazei isto, para gloria de Deus, não para si próprio, mais sim para que o amor de Deus, seja revelado a todos ao teu alcance.

  • “Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim, se não anunciar o evangelho!”(1Corintios 9:16)

É a Palavra da Verdade de Deus, que liberta os cativos, e ela que dá sabedoria ao homem que a busca, é ela que ensina como devemos ser para Deus, ela é lampada para nossos pés.

Texto tirado do blog:

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

TROFÉU AVANTE COM JESUS



Fiz esse selinho Troféu Avante com Jesus para amigos blogueiros que de alguma forma estão levando o evangelho do nosso maravilhoso Jesus Cristo através do seu blog visite http://avantecomjesus.blogspot.com/ e pegue seu selinho.
Abraços!


Jesus me ajuda a Avançar


josué 1:7,9 “Tão somente sê forte e mui corajoso. Sê forte e corajoso; não temas, nem te espantes, porque o Senhor, teu deus, é contigo por onde quer que andares.”

Existem situações em nossas vidas na qual nós precisamos de alguém ao nosso lado para nos incentivar, dar palavras de ânimo e vida. É quando nos sentimos desistidos. Você já se sentiu cansado, desanimado e pensou em desistir. Sentimos que não vale à pena continuar, que já perdemos a batalha e não queremos mais seguir em frente. Ficamos igual ao jogador que já perdeu a partida antes mesmo de entrar em campo.
A vontade é cruzar os braços ou procurar um lugar onde nós possamos nos esconder. Mas,
Nós, porém, não somos dos que retrocedem para a perdição;”Hb.10:39

Desistir diante de alguma situação pode acontecer de várias maneiras:
  • 1- Quando vamos fazer uma prova e achamos que não temos condições de passar.
  • 2- Quando vamos enfrentar uma competição e nos sentimos incapazes de competir com os outros;
  • 3- Quando há uma enfermidade e pensamos que não há cura; e tantas outras situações que aparecem no nosso dia-a-dia.
Josué, quando foi chamado por Deus para levar o povo a Terra Prometida, substituindo Moisés, também se sentiu abalado e desconfiado da sua capacidade, mas Deus lhe disse: “Não temas, sê forte e corajoso, estarei contigo por onde quer que andares.”
Jesus, disse aos seus discípulos que no mundo nós teríamos aflições, mas que nós tivéssemos bom ânimo, porque Ele havia vencido o mundo. Além disso, prometeu que estria conosco todos os dias. Isto significa que quando estamos com vontade de desistir Ele está ao nosso lado.
Os discípulos de Jesus também se sentiram desistidos, quando Jesus morreu na cruz. Mas ao terceiro dia Ele ressuscitou e voltou aos seus discípulos e eles ficaram animados.
Você está pensando em parar, em desistir? Jesus lhe convida: “Vinde a mim todos vós que estais cansados e oprimidos e eu vos aliviarei” Mt. 11:28 Aceite este convite e venha caminhar com Jesus. Ele te ajuda a prosseguir e alivia a sua aflição e lhe fortalece para vencer as batalhas.


terça-feira, 15 de setembro de 2009

Postagens populares

 
AMIGOS UNIDOS EM JESUS - Wordpress Themes is proudly powered by WordPress and themed by Mukkamu Templates Novo Blogger